7 - Administração

Usuários

Esta parte funciona exatamente da mesma forma que o inventário. Você pode adicionar, alterar, excluir e desativar usuários ou exportar a lista de usuários exibida em PDF ou CSV SYLK

Em termos de direitos, por padrão, você tem a opção de 4 perfis:

  • Super-Admin: Acesso ao console central do GLPI e acesso total ao aplicativo.
  • Admin: Acesso ao console central do GLPI e pode mudar todas as opções, exceto os relacionados com a configuração.
  • Normal: acesso somente leitura ao console central do GLPI.
  • Post-only: Acesso ao Helpdesk GLPI (Novo Ticket / Acompanhamento de tickets / Empréstimos e FAQ).

<note> A partir da versão .68, todos os direitos podem ser alterados com a gestão de perfis (veja abaixo). O acesso ao gerenciamento de usuários depende do perfil do usuário conectado. Pode variar de acordo com o perfil. </note>

<note important> Quando você deleta usuários GLPI, eles permanecer no banco até que você excluí-los. Para ver os usuários excluídos, clique no dropdown ao lado do ícone da lixeira pequena, e mude para sim. Isto irá mostrar uma lista de todos os usuários excluídos. Você pode então restaurar ou eliminá-los do banco de dados usando as opções na parte inferior da página</note>

Grupos

A versão 0.68 do GLPI introduziu o conceito de grupos. Ele permite que usuários sejam adicionado em grupos para atribuir materiais e permitir o monitoramento desses materiais comuns.

Se você usar autenticação externa, você poderá importar diretamente os usuários em grupos previamente criados no GLPI.

<note> A administração de grupos depende do perfil do usuário conectado. Pode variar de acordo com o perfil. </note>

Entidades

A ideia de várias entidades é o de permitir que o GLPI segmente os departamentos ao mesmo tempo que permite a consolidação de dados mais fácil a partir de diferentes departamentos.

Isso pode ser útil para uma empresa cuja gestão/suporte é hierárquica e onde as pessoas devem ter uma visão dos serviços em diferentes níveis, pode ser útil também com entidades de vários sites

Múltiplas entidades acrescentam outra camada para criar conjuntos com direitos próprios. Estes conjuntos são chamados entidades.

Exemplo: Considere a seguinte hierarquia:

           EM
     |------|------|
    EA     EB
  |   |   |   |
  EA1 EA2 EB1 EB2

A entidade pai (EM) tem duas filiais (EA e EB) que, por sua vez cada uma delas possuem dois departamentos (EA1, EA2, EB1 e EB2). Cada entidade tem uma visão dos seus recursos e entidades filiadas a ela.

  • EM tem uma visão de seus objetos e todas as entidades e seus objetos.
  • EA tem uma visão de seus próprios objetos e dos objetos de EA1 e EA2.
  • EA1 vê apenas seus objetos.

Um usuário pode estar associado a várias entidades, com direitos diferentes. Estes direitos podem ser mantidos nas sub-entidades ou não, usando a flag recursivo setado para sim. Setando a flag recursivo para “não” significa que o usuário só pode ver objetos no nível entidade a que ele pertence. Recursivo setado para “Sim” significa que eles verão tudo no nível deles e tudo que estiver nos níveis inferiores.

Por padrão, o GLPI instala uma entidade genérica, chamada entidade de raiz.

A partir desta interface, você pode criar novas entidades, modificar as entidades existentes, ou excluí-las.

<note tip> A utilização de entidades só é relevante se você quiser ter uma distinção relativamente clara entre os departamentos/elements (por exemplo, múltiplas localidades). Em muitos casos, é preferível utilizar os recursos oferecidos pela configuração de “grupos”. </note>

<note tip> A atribuição automática de usuários e equipamentos para as entidades é possível através da definição de regras. </note>

Regras

É possível definir no GLPI um conjunto de regras para executar ações automaticamente.

Atribuição de Usuários

Existem 2 tipos de regras de atribuição:

  • Regras de atribuição estática: a regra foi definida para um usuário pelo administrador
  • Regras de alocação dinâmica: a regra é definida utilizando o mecanismo de regras. Sua execução é automática e não requer nenhuma ação do administrador

<note warning> Existe uma regra implícita que adiciona perfis para novos usuários quando o atributo “Perfil Padrão” estiver setado (post-only após a instalação). Lembre-se de modificar este atributo se você não quiser esse recurso.</note>

<note warning> Não se esqueça de apagar a associação à entidade de raiz feita pelo script de migração. Se você não fizer isso, o usuário tem ambos os perfis que você definir, a maioria pertencente à entidade raiz </note>

Uma regra é composta de:

  • Um nome, descrição e classificação
  • Uma lista de critérios (expansível)
    • 3 ações
    • Atribuir uma entidade
      • atribuir um perfil
      • Acesso recursivo yes / no

<note important> o motor não parar depois que a primeira regra é verificada.

É possível atribuir vários perfis / entidades para uma pessoa </note>

Pontos importantes de regras de atribuição de usuários

Para um usuário acessar uma entidade, ela deve corresponder a:

  • Uma regra que lhe dá uma designação e atribui um perfil
  • Uma regra que lhe dá uma designação e outra atribuição que lhe dá um perfil

Se uma regra apenas atribui um usuário a uma entidade, o perfil padrão será automaticamente aplicada a ele.

É possível combinar os 2 tipos de regras:

  A * uma regra que define o acesso a uma entidade 1
  B * uma regra que define o acesso a uma entidade 2
  C * uma regra que afeta um perfil P1 para o usuário
  D * uma regra que define o acesso a entidade 3 com o perfil P2

O motor irá executar as regras na seguinte ordem:

  • Atribuída à entidade 3 com perfil P2
  • Atribuído à entidade 1 com perfil P1
  • Atribuído à entidade 2 com perfil P1

Regras de Máquinas

As máquinas serão atribuídas automaticamente a uma entidade através de uma regra.

Uma regra é composta de:

  • Um nome, descrição e classificação
  • Uma lista de critérios (expansível)
  • 1 operação: a atribuição de uma entidade

<note important> O motor para após a primeira regra verificada

A ordem de execução das regras é importante

É necessário otimizar a ordem de execução de regras baseadas no número de máquinas que vão para trás (para as primeiras entidades que têm a maioria das máquinas, para melhorar o desempenho do motor de regras) </note>

Regras para atribuição de uma categoria de software

Com a versão 0.70, agora é possível agrupar por categoria de software para simplificar a exibição na lista de software em um computador.

Exemplos de regras estão disponíveis em wiki de desenvolvimento

Dicionários

Desde a versão 0.71, é possível definir dicionários.

Este dicionário pode conter regras que irão alterar os valores de determinados dados importados do OCS. No momento, estas são as seguintes:

  • Nome do software
  • Versão de software
  • Fabricantes
  • Modelos (computadores, monitores, impressoras, redes, telefones, periféricos)
  • Tipos (computadores, monitores, impressoras, redes, telefones, periféricos)
  • OS (nome, Service Pack, versão)

Os dicionários são utilizados durante os processos automáticos:

  • Importação do OCS
  • Injeção de arquivos CSV
  • Adicionando um título

É possível utilizar o dicionário do banco de dados:

  • Sob a forma de listas de regras, clique em “Play the dictionary”
  • Para escolha e seleção massifica de softwares, escolha “Replay dictionary” na lista de software

Como usar o dicionário

O dicionário funciona da seguinte forma:
 * Para entrar no banco de dados (do OCS ou plugin data_injection) os dados passam

pelo dicionário

  • O mecanismo de regras utiliza todas as regras relativas a esse tipo de dados, e não parará na primeira verificação
  • Os dados modificados são retornados pelo dicionário e inseridos no banco de dados

Para reaplicar o dicionário em um banco de dados existente, basta ir à lista de regras dele, e clicar no botão “Play the dictionary.” No caso do dicionário de software, é possível especificar um fabricante para limitar o desempenho do motor dele (a aplicação em todos os softwares é longo).

<note> Um script está disponível nos scripts GLPI (compute_dictionnary.php), que permite o uso do dicionário através da linha de comando. Isso ajuda a superar os problemas de implementação, e oferece um ganho de tempo considerável. </note>

Prerrequisitos

Se o seu banco de dados é consistente, você deve ter cuidado com a configuração memory_limit do PHP. Com efeito, os tratamentos podem ser muito longos.

Dicionário de Software

Estas regras permitem modificar as seguintes informações de software:

  • Nome do software
  • Versão
  • Fabricante

O uso de expressões regulares (regex) é usada para extrair a versão do software do seu nome.

Por exemplo, para os seguintes softwares:

  • Nome: MyCompany MySoft v6.4
  • Versão: 1
  • Fabricante: none

É possível fazer uma regra que converte os dados para:

  • Nome: MySoft
  • Versão: 6.4
  • Fabricante: MyCompany

Exemplos de regras estão disponíveis em na wiki

Dicionário de Fabricantes

Este dicionário permite limpar a lista de fabricantes.

Perfis

A versão 0,68 do GLPI introduziu o conceito de perfis. É possível controlar todos os direitos da aplicação GLPI com perfis e associá-las aos usuários.

Você pode criar novos perfis, modificar perfis existentes, ou excluí-los.

2 interfaces são configuráveis:

1. Helpdesk

Esta interface inclui os direitos associados com help desk público: Criar um ticket, acompanhamento de chamados, ver o segmento público (do próprio usuário e dos acompanhantes do ticket), tickets para ver os grupos, acesso a empréstimos, FAQs e trocar o password.

Linkando os materiais para a criação de tickets: Você pode escolher se os usuários podem postar tickets só no material ao qual estão relacionados (no detalhe do equipamento) ou pode selecionar qualquer equipamento do inventário. E, graças à seleção, você pode especificar que tipo de material eles podem escolher para fazer pedidos.

2. Centro de Comando

Esta interface inclui os direitos associados ao console central, e assim todos os seus componentes (estoque, assistência, gerência, ferramentas, plugins, administração).

  • Inventário

Acesso, leitura, escrita de todos os equipamentos inventariados. Isto permite configurar, dados de acesso de equipamentos e gerenciamento de áreas afins.

  • Comum

Acesso, leitura, escrita de notas nas abas na visão detalhada de um material, alterar sua senha, bem como anotações públicas no console central.

  • Gerência

Acesso, leitura, escrita de documentos, empresas, materiais financeiros e informativos.

  • Assistência

Acesso, leitura, escrita no console Helpdesk.

  • Ferramentas

Acesso, leitura, escrita dos relatórios do OCS-NG, empréstimos, Base de Conhecimento e serviço de FAQ. NB: a base de conhecimento é diferente da FAQ pelo fato de que ela mostra os itens públicos e privadas, em oposição ao FAQ público, que mostra apenas os itens públicos.

  • Administração

Acesso, leitura, escrita sobre a configuração do GLPI.

<note warning> Se você excluir o perfil de super-admin, ou se você definir “Helpdesk” como padrão de perfil, o acesso à configuração do GLPI pode ser perdida para sempre. </note>

<note> A tela de gerenciamento de perfil baseia-se no perfil que o usuário está conectado. Pode variar de acordo com o perfil. </note>

Transferência

Desde a versão 0.70 do GLPI eo surgimento do conceito de “entidades”, é possível definir perfis para a transferência de itens entre várias entidades.

Esta característica torna possível a passagem de uma única entidade GLPI a uma multi-entidade utilizando transferências.

Como fazer uma transferência:

  1. Você deve ter um perfil que tem o direito de fazer transferências (Administração/Perfis/parte da Administração)
  2. é necessário configurar as ações feitas pela transferência (Administração/Transferência)
  3. o perfil que vai fazer a transferência tem que ter visibilidade da entidade velha da nova (um perfil recursiva desde a entidade raiz é o mais simples)
  4. Você se posiciona na entidade raiz
  5. Quando estiver com a lista de máquinas, selecione aquelas que você deseja transferir
  6. Selecione Transferir e Postar
  7. No modo de transferência, você verá a lista de configurações de transferências criadas no ponto 2
  8. Selecione a entidade à qual será transferido o material
  9. Clique em transferir
  10. verificar na nova entidade que o material está lá

Tenha cuidado: o local e o grupo será adaptada para a nova entidade

Dados (Backup / Restauração)

Esta área permite que você faça backups do banco de dados (“Dump SQL”).

Você também pode excluir, restaurar ou fazer o download dos arquivos de backup.

Para restaurar um backup do SQL baixado de outro GLPI, coloque-o em “files_dumps” do seu GLPI; reinicie sua interface GLPI e restaure os dados de configuração.

Você também pode gerar um backup no formato XML para um banco de dados. (“Dump XML”).

Logs

Esta área permite visualizar e classificar o histórico de logs. O grau e a retenção de logs é configurável no menu Configurar - Geral - Nível do log.